Blog Asociación Amigos de Francisco Carballo

REBOIRAS E CARBALLO COA OLLADA DE NEMESIO BARXA

No xornal SERMOS GALIZA, e con data do 12 de agosto deste 2019, Nemesio Barxa, que fora o avogado defensor de Francisco Carballo, pendura a extensa columna “No quarenta e quatro aniversario do assasinato de Moncho Reboiras”. Un interesante traballo do que imos recuperar a parte na que aparece referenciado o presbítero ilustrado de Maceda: (...) “No ano de 1979 Francisco Carballo colaborou num livro coletivo de “Historia de Galicia” (AN-PG), assumindo Carballo redigir o capítulo correspondente a os últimos anos e referiu-se á morte de Reboiras manifestando que “... a Policia Española asesinou a Xose Ramón Reboiras, um dos dirixentes da UPG”, frase que aproveitou a policia para denuncia-lo por calunias; aberturou-se um sumario que foi arquivado mas, recorrido o arquivo, continuou a tramitação, assumindo eu sua defensa e imediatamente aproveitei para solicitar entre as provas propostas que se requeresse do Tribunal Militar copia do praticado nas atuações seguidas pela morte de Reboiras, alegando que para defender a acusação de calunia precisava demostrar que o feito imputado era certo. Remitiram-nos o expediente e pudemos comprovar o cúmulo de falsidades tanto no declarado pela policia no processo de Carballo como nos comunicados á imprensa no momento dos feitos. Lamentavelmente o expediente completo, incluso o correspondente ao processo de Carballo do meu escritório, desapareceu no incendo do escritório de um colega a quem eu havia prestado. Mas se houvera investigador ou historiador que tivera interesse nele poderíamos obtê-lo na Audiência provincial de A Coruña, nos seus arquivos.

De qualquer jeito a policia havia declarado que o corpo de Reboiras estava fora do portal com a mão estendida, confundindo esquerda com direita, rente da pistola, como se houvera saído pegando tiros. O certo era que o corpo de Reboiras estava no interior do portal com um tiro na caluga que, ao parecer foi o que o matou, e vários na espalda e a porta do portal totalmente acribilhada. A pesar de todo Carballo foi condenado (anedoticamente, Carballo, segundo me confessou, na redação original havia escrito que Reboiras foro “abatido” pola policia e foi o editor o que mudou de abatido a “asesinado”, circunstancia que Paco se negou a utilizar na sua defensa). Os policias intervintes nem forem investigados; mais bem premiados por dar morte a um perigoso terrorista que tinha em carteira cometer novos delitos (...).

N.B.- O retrato de Nemesio Barxa tirámolo de: 

https://barxadvogados.gal/staff-view/nemesio-barxa-alvarez

A salientábel colaboración de Nemesio Barxa en SERMOS GALIZA podemos ollala completa en:

https://www.sermosgaliza.gal/opinion/nemesio-barxa/quarenta-quatro-aniversario-do-assasinato-moncho-reboiras/20190811215327083021.html


Comentarios

No hay ningún comentario

Añadir un Comentario: